Sobre o API.NANO

O que é o API.nano

A Nanotecnologia vem se destacando como uma área estratégica no cenário mundial e nacional, agregando um conjunto de tecnologias multidisciplinares, o que requer o esforço e o entendimento entre várias segmentos do conhecimento. Como área considerada portadora de futuro, com potenciais aplicações chave em múltiplas soluções inovadoras, apresenta potenciais de aplicação em larga faixa de importantes setores produtivos.

O mercado mundial de Nanotecnologia foi de 383 bilhões de dólares em 2010 , prevendo-se um crescimento vigoroso nos próximos anos, a ponto de constituir um mercado de 3.300 bilhões de dólares em 2018. Se o Brasil agir no sentido de pelo menos alcançar 1% da escala mundial, chegar-se-á a uma cifra de 33 bilhões de dólares, muito maior que os relativamente modestos 58 milhões de dólares alcançados em 2010!

O Arranjo Promotor de Inovação em Nanotecnologia do Polo Tecnológico da Grande Florianópolis, ou API.nanotecnologia do Tecnópolis, em sua designação abreviada de API.nano, propiciará o “locus” de encontro para a ação em rede cooperada e voluntária entre seus Membros, promovendo a sinergia de competências, estratégias e ações que embasarão e efetivarão grandes projetos estruturantes e mobilizadores para o sistêmico, ágil e eficaz desenvolvimento de um competitivo setor econômico em Nanotecnologia na região, chave para o desenvolvimento de outros setores econômicos em todo Brasil. Desta forma possibilitará a todos um crescimento maior do que aquele que seria obtido trabalhando isoladamente. O API.nano constitui um ambiente de comunicação e cooperação entre indústria e academia, respeitando particularidades, desejos e interesses de maneira ética e organizada.

O API.nano irá, expressamente, agir segundo os interesses de seus membros integrantes. O API.nano é um rede cooperada e de desenvolvimento para líderes industriais e científicos que se esforçam para sobressair e potencializar seu conhecimento e criar soluções e processos inovadores com Nanotecnologia, que contribuam significativamente para o sucesso das Empresas de Nanotecnologia no Brasil no âmbito local e global. Somos comprometidos em desenvolver soluções e processos com Nanotecnologia que são responsáveis, que respeitam o meio ambiente e de finalidade verdes.

A estrutura organizacional do API.nano foi concebida para refletir ações de natureza inovadoras. É uma estrutura ágil, livre de burocracias e simples, que contempla todos seus membros, assegurando seus interesses e necessidades. Está organizada da seguinte forma: o Conselho de Governança (formado por todos os membros), o Comitê de Gestão (eleitos por seus pares) e a Secretaria Executiva.



Conselho de Governança
O Conselho de Governança, órgão colegiado encarregado de zelar pelos princípios de governança e interesse dos participantes do API e stakeholders, é o principal componente do sistema de governança

Comitê de Gestão
O Comitê de Gestão, órgão colegiado, representativo dos distintos interesses dos Membros do API.nano, é responsável do processo decisório do API.nano, em relação ao seu direcionamento estratégico e ações não rotineiras.

Composição:
• Dois Representantes dos Membros Pesquisador Líder;
• Dois Representantes dos Membros Institucionais;
• Um Representante dos Membros Empresariais Fornecedores;
• Um Representante dos Membros Empresariais Usuários;
• Um Representante dos Membros Agentes de Fomento.

Secretaria Executiva
A Secretaria Executiva é responsável pelo gerenciamento e coordenação das operações do Sistema de Gestão, ou seja, principal operador das macro-funções. Entre as proponentes será selecionada pelo Comitê de Gestão um Membro Institucional para atuar como Secretaria Executiva sendo responsável direto pela execução das diretrizes fixadas pelo Comitê de Gestão. Terá caráter de motivação imparcial e interesses alinhados aos propósitos do API.nano.

Leandro Antunes Berti
Secretário Executivo do API.nano

Histórico

Em 2011 realizou-se com sucesso o I Simpósio Técnico-Empresarial de Nanotecnologia, que originou um pré-mapeamento das competências acadêmicas e empresariais. Em março de 2013 realizou-se o II Simpósio Técnico-Empresarial de Nanotecnologia com mais de cem participantes representando os setores científicos, tecnológicos, empresariais e governamentais. A rodada de negócios deste evento mostrou o já forte desenvolvimento do setor empresarial, contando com a presença de nove empresas, ofertantes de Nanotecnologia e de dez empresas demandantes da tecnologia.

Outras importantes atividades realizadas no início de 2013 foram o mapeamento detalhado das competências acadêmicas, das empresas de Nanotecnologia e das empresas demandantes de Nanotecnologia, assim como a realização do Workshop de Planejamento Estratégico do API.nano, definindo-se objetivos, metas, estratégias e indicadores para nortear as ações subsequentes.

A partir de uma iniciativa da Fundação CERTI, de Laboratórios de P&D da UFSC, de empresas de Nanotecnologia, do LabGEs da ESAG/UDESC e considerando a crescente demanda de mercado, fortaleceu-se a mobilização para a criação de um API em Nanotecnologia inicialmente no âmbito do Polo Tecnológico da Grande Florianópolis (Tecnópolis). A formalização do arranjo concretiza-se com a assinatura do Termo de Adesão pelos Membros Fundadores na data de 13 de Junho de 2013.

Visão

Ser um Polo de referência no desenvolvimento de produtos nanotecnológicos e geração de empresas inovadoras, atingindo de 10 a 15% do mercado produtor brasileiro de nanotecnologia até 2020.

Objetivos

Objetivo Geral
Criar um ambiente de comunicação e cooperação entre empresas e academia, respeitando particularidades, competências e interesses de maneira ética e organizada, na promoção do desenvolvimento de um competitivo setor econômico em Nanotecnologia com inovação.

Objetivos Específicos:
• Transformar resultados de pesquisa em produtos e processos inovadores;
• Transferir conhecimento/tecnologias de bancada para empresas;
• Fortalecer os laboratórios de Nanotecnologia em C&T&I
• Fortalecer as empresas de Nanotecnologia com Inovação
• Disseminar modelos de propriedade intelectual e gestão de projetos;

Representantes

O API.nano congregará as lideranças empresariais, científicas/tecnológicas e de fomento para o desenvolvimento da Nanotecnologia em Santa Catarina e no Brasil, segundo as categorias de membro abaixo, cabendo aos mesmos benefícios e obrigações para o bem da coletividade.

Categorias

Membro Empresarial Fornecedor: Representando a empresa ou unidade de empresa especializada na fabricação/fornecimento de insumos, serviços ou dispositivos nanotecnológicos.

Membro Empresarial Usuário: Representando Empresa demandantes de soluções de Nanotecnologia na sua produção de artigos/bens de outra natureza;

Membro Institucional: Representando uma Instituição de Ciência, Tecnologia e Inovação que tem a nanotecnologia como elemento estratégico de sua operação;

Membro Pesquisador Líder: Representando uma Célula de Competência/Grupo de P&D em Nanotecnologia de uma ICTI;

Membro Agente de Desenvolvimento: Representando uma Agência de Fomento (FAPESC, BADESC, SEBRAE-SC, ...) ou Organização Pública ou Privada promotora de Desenvolvimento (SMCTDES, GESC-SDS, FIESC, ...)

Como ser Membro

Poderão participar, voluntariamente, do API.nano, instituição públicas e privadas através de indivíduos que tenham envolvimento com Nanotecnologia. O API.nano será, portanto, constituído de empresas fornecedoras ou usuárias/demandantes de soluções em Nanotecnologia, pesquisadores líderes de entidades de desenvolvimento científico/tecnológico (unidades / grupos de pesquisa / laboratórios de nanotecnologia), agentes de desenvolvimento e órgãos governamentais. A adesão ao API.nano é voluntária e será formalizada por meio da assinatura do Termo de Adesão, que automaticamente torna o participante membro do Conselho de Governança.

Preencha o termo de adesão e envie-o assinado por email ou por correio para registrarmos sua participação.

Para preencher o termo de adesão faça download e use nosso formulário.

Áreas de Atuação

O quadro inicial que se descortina no ambiente externo e interno, que compõe o API.nano na sua concepção atual, sem pretender delimitar ou restringir futuros incrementos, prevê o desenvolvimento e oferta de soluções para os segmentos de mercado do quadro abaixo.

Ambiente

A rede API.nano é sediada em Florianópolis, a capital de inovação. A cidade vem se consolidando como um polo de empresas de base tecnológica. Ela possui cerca de 600 empresas de software, hardware e serviços de tecnologia, as quais geram juntas cerca de 1bilhão de reais ao ano, além de proverem cerca de cinco mil empregos diretos.

Respeitando os elementos naturais da ilha, a cidade encontrou no setor de tecnologia da informação e comunicação uma atividade econômica que se tornou de extrema importância para o desenvolvimento local. A cidade agora aposta em um novo segmento, o da Nanotecnologia. Ela está se firmando como um polo de nanotecnologia no estado e no Brasil, concentrando a maior parte das empresas do ramo na capital.

Florianópolis também se preocupa com a criação de ambientes para a geração e desenvolvimento de empreendimentos de base tecnológica na cidade. Entre eles, podem-se citar as incubadoras CELTA e MIDI Tecnológico, além dos parques tecnológicos Alpha e Sapiens Parque.

A competência das incubadoras de Florianópolis para gerar empresas inovadoras de sucesso é amplamente reconhecida, sendo que o MIDI Tecnológico foi eleito, em 2008 e 2012, a Melhor Incubadora pelo Prêmio Nacional de Empreendedorismo Inovador, promovido pela ANPROTEC. Anteriormente, o CELTA ganhou por três vezes (1997, 2006 e 2011) o mesmo prêmio.

Neste contexto, o Sapiens Parque visa unir empreendedorismo, talento e criatividade com os principais setores econômicos de Florianópolis – turismo, tecnologia, meio ambiente e serviços especializados – para consolidar a região como uma referência de inovação e desenvolvimento sustentável.

As empresas geradas pelas incubadoras de Florianópolis também têm ganho muitos prêmios, sendo que nas últimas 10 edições do Prêmio Nacional de Empreendedorismo Inovador, da ANPROTEC, em seis ocasiões uma empresa incubada ou graduada de Florianópolis foi considerada a melhor do Brasil.



Para mais informações acesse
www.pmf.sc.gov.br/entidades/smctdes
www.sapiensparque.com.br